Vigilância Sanitária de Timbó trabalha para eliminar focos do mosquito Aedes Aegypti

A Vigilância Sanitária de Timbó segue realizando o trabalho de erradicação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela. Houve um aumento da incidência no município

A Vigilância Sanitária de Timbó segue realizando o trabalho de erradicação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela. Houve um aumento da incidência no município. Nos primeiros quatro meses deste ano já foram encontrados 25 focos, enquanto que durante todo 2020 foram onze focos. “O que chama a atenção é que estão aparecendo focos em bairros que não registravam a presença do mosquito a muito tempo, como é o caso do Centro”, alerta o coordenador da Vigilância Sanitária, Carlos Brás Busarello.
Ele explica que em razão de Timbó ter tido registros de casos das doenças transmissíveis pelo mosquito, que foram trazidos de outros estados, há a possibilidade da doença circular no município.

Trabalho de erradicação dos focos

Quando o Laboratório de Entomologia detecta a presença do mosquito, a coordenação do programa promove imediatamente uma ação técnica, chamada “Delimitação de foco”. Nela são feitas inspeções minuciosas em todos os imóveis num raio de 300 metros ao entorno do local do foco.
O coordenador comenta que nestas inspeções, os agentes têm encontrado muitos depósitos em residências, comércios e terrenos baldios. “Lembramos que a participação de todos é fundamental para que os problemas de saúde não venham se agravar ainda mais”.

Ações preventivas para evitar a proliferação do mosquito:

– Mantenha a caixa d’água bem fechada e coloque uma tela no ladrão.
– Piscinas devem ser cobertas, mantidas sempre limpas e tratadas com cloro semanalmente.
– Caso quiser guardar garrafas de vidro ou plástico, mantê-las sempre com a boca para baixo.
– Mantenha bem tampados tonéis e barris de água.
– Jogar no lixo todo o objeto que possa acumular água.
– Não jogar lixo em terrenos baldios.
– Não deixe a água da chuva, acumular sobre a laje e calhas.
– Retire a água e lave com sabão a bandeja externa da geladeira.
– Tampe os ralos e deixe a tampa do vaso sanitário fechada.
– Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com frequência.
– Mantenha o saco de lixo bem fechado e fora do alcance de animais até o recolhimento pelo serviço de coleta.
– Lave a vasilha de água de seus animais semanalmente.
– Observar diariamente vasos de plantas.
– Faça furos nos pneus velhos, para evitar o acúmulo de água e mantenha-os em locais cobertos. Ou então, entregue em locais de reciclagem.

Assessora: Raquel Piske/Ascom PMT
Arte: Ascom PMT

Deixe uma resposta