Relacionamento de fachada

Spread the love

Entenda o que é um relacionamento de fachada e porque ele existe

O relacionamento de fachada é aquele que existe somente no papel (ou nas palavras). A existência do relacionamento tem como único objetivo manter as aparências para outras pessoas. 

Existem dois principais motivos para que exista um relacionamento de fachada. O primeiro deles é o caso de um indivíduo que tem medo de se assumir homossexual e mantém a aparência de um relacionamento heterossexual com uma mulher. 

Outra possibilidade é por questões políticas. Um determinado ator ou político, ou famoso no geral, mantém um determinado relacionamento visando obter engajamento de seu público e aumentar a própria renda. 

Qualquer que seja o motivo, o relacionamento de fachada tem somente um objetivo: enganar alguém. Esse alguém pode ser um conjunto de pessoas indeterminadas ou o próprio indivíduo que escolheu entrar num relacionamento de fachada. 

O relacionamento de fachada não se confunde com o relacionamento aberto, ou com o relacionamento conjugal que admite a presença de uma privacy. Neste caso, existe um acordo por parte do casal. 

No relacionamento aberto o casal possui um afeto real, porém escolhe manter relações sexuais com outros parceiros. Isso não invalida o sentimento que existe entre os dois, somente é uma forma diferente de se manter a relação. 

Portanto, o ideal seria que os relacionamentos de fachada não existissem. Eles só existem por conta de inseguranças ou interesses escusos das pessoas. Qualquer coisa que exista com o único objetivo de enganar outro deve ser erradicada. 

Porém determinados relacionamento de fachada são proteções que o indivíduo cria, como no caso de um indivíduo que ainda não conseguiu assumir a própria homossexualidade.

Neste caso, o relacionamento é uma fuga. Uma forma de evitar ou ao menos adiar o contato com a realidade. Quanto mais cedo ele deixar de existir, melhor. Porém até lá, não cabe a ninguém atacar ou forçar o indivíduo a se expor, pois isso pode gerar danos maiores do que a própria existência do relacionamento. 

geovana redação

Deixe um comentário