Rayssa Leal é a mais jovem medalhista do Brasil e surfe é antecipado

Spread the love

Rayssa Leal, de apenas 13 anos, já tem um objetivo ousado para os próximos meses na carreira: aprender a manobra “Caballerial tail de back”, que foi feita parcialmente por Kelvin Hoefler, vice-campeão olímpico entre os homens. Nenhuma mulher até hoje conseguiu fazer em um evento oficial.

Eu quero aprender o Caballerial tail de back, que é a manobra parecida com a que o Kelvin fez ontem. Nunca vi uma menina jogando essa manobra, mas vejo essa manobra toda hora no skate masculino – explicou Fadinha.

A manobra feita por Kelvin é no corrimão (última manobra do vídeo abaixo), enquanto Rayssa tentará fazer no caixote. Em uma prova de street, há diversos elementos urbanos espalhados pelo circuito, e os atletas podem fazer sua apresentação com esse cenário. O nome é difícil, mas a explicação é essa: back é porque o atleta que fizer entra de costas na manobra. Tail porque o atleta entra com a parte de trás do shape. Caballerial é o nome da manobra em si, batizada em homenagem ao skatista Steve Caballero, que inventou o truque em 1981.

Pela regra, cada atleta faz sete apresentações na competição. Duas na chamada volta longa, com 40 segundos de duração, e outras cinco em manobras únicas. Ou seja, cada skatista recebe sete notas, mas só as quatro maiores são contadas. O desejo de Rayssa é que mais mulheres consigam fazer manobras difíceis e deixar o skate feminino ainda mais popular no mundo:

– Eu quero aprender manobras novas e chegar em um campeonato e ninguém saber o que eu vou fazer… aí pum, você acerta. O nível do skate está cada vez maior entre as mulheres – disse a atleta de 13 anos.

TEXTO – GE/ESPORTES / VÍDEO UOL