Prefeito de Indaial sofre ataques e defende vacinação contra COVID

Spread the love

Ao comentar a morte de uma jovem de 28 anos, por COVID019, que não havia se vacinado, Moser defendeu a imunização recomendada pela ciência

INDAIAL – O prefeito André Moser (PSDB) usou suas redes sociais, esta semana, para rebater ataques contra uma postagem sua defendendo a vacinação contra a COVID-19, para evitar mortes e sofrimento por conta da contaminação. Os ataques estavam associados a uma afirmação do prefeito sobre a morte de uma jovem indaialense, de 28 anos, que morreu, nos últimos dias, em decorrência da COVID-19, e não havia tomado a vacina. Moser disse que a vacinação está comprovadamente associada a queda de mortes, pois aumenta a defesa do organismo contra o coronavírus.

A defesa da vacinação pelo prefeito André Moser vem associada ao aumento do número de contaminados por COVID-19 neste início de ano. A probabilidade é que os eventos festivos e reuniões com aglomerações aumentaram a propagação do coronavírus, o que aumentou a procura nos centros de atendimento de emergência em todo o estado e país. Em Indaial e região, a situação não é diferente. Moser fez uma live diretamente do Hospital Beatriz Ramos e apelou para que as pessoas continuem se cuidando com o uso de máscaras, higienização e evitem aglomerações. Apelou para que procurem os hospitais somente quem realmente precisa, para que o sistema não entre em estado de sobrelotação.

Os ataques sofridos pelo prefeito vieram de pessoas contrárias a vacinação. Vários dos ataques foram com palavras pejorativas e até xenófobas. Moser fez uma postagem em suas redes, questionando: “Em que mundo estamos vivendo?” (Veja a postagem em anexo). O prefeito André Moser disse que não está se posicionando de forma político-partidária e ideológica e sim a favor da ciência e dos resultados que a vacinação comprovaram ter. A defesa do prefeito André Moser conflita com a posição do presidente da República, Jair Bolsonaro. Esta semana, Bolsonaro se manifestou contra a vacina para crianças de 5 a 11 anos, criticando a liberação da vacinação pela ANVISA.

Bolsonaro disse que sua filha, de 11 anos, não vai tomar a vacina e que não conhece nenhuma criança que tenha morrido em função da COVID-19. Os dados do presidente conflitam com o levantamento do Ministério da Saúde, que além de ter liberado as vacinas para crianças, tem um levantamento de 311 óbitos de crianças entre 5 e 11 anos em decorrência do coronavírus. Bolsonaro disse que a ANVISA demonstra algum interesse na vacinação.

O número de mortes em todo o Brasil caíram após a vacinação. No ano passado, em todo o Brasil, o número de mortes chegou a 5.000 pessoas por dia. Nos últimos dias, o número de óbitos chegou a baixar de 100 casos/dia, entre estas tem pessoas que se recusaram a tomar a vacina. Esta semana, o número de mortes diária superou 125 pessoas, mas a contaminação aumentou de forma explosiva, devido a chegada ao país da variante omicron, que tem um potencial de proliferação mais rápida, porém, há estudos mostrando que os efeitos podem ser mais leves . A vacina não impede a pessoa de contrair a COVID-19 e passar o vírus adiante. A vacina apenas aumenta o combate aos efeitos do vírus, podendo evitar mortes ou sintomas mais graves.

Além da COVID-19, está ocorrendo um surto de gripe influenza, com reflexos no sistema respiratório. Em alguns estados, a influenza já é classificado como epidemia. Além disso, Santa catarina está sendo apontada pelo Ministério da Saúde como área de situação grave. No início da gripe, as pessoas contaminadas sentem os mesmos sintomas do COVID-19, como febre, dificuldade de respiração e dores corporais. As duas doenças estão lotando a fila de hospitais e postos de saúde em todo o país. Em Timbó, o Hospital e Maternidade Oase emitiu um Comunicado apelando para que as pessoas procurem o Pronto Atendimento sem aglomerações. O sistema está lotado. O mesmo está ocorrendo no Hospital Beatriz Ramos, em Indaial.

Eventos cancelados

Em função do aumento da COVID-19, o prefeito André Moser esteve reunido, nesta manhã de sexta-feira, 7, com a equipe da Fundação Municipal de Esportes e outros assessores, quando decidiu cancelar a edição deste ano do Torneio de Verão. O evento já havia sido cancelado em 2021 e este será o segundo ano sem o tradicional Torneio, que foi realizado no mês de janeiro há mais de 30 anos. O Torneio de Verão reúne torcedores no Pavilhão Sérgio Luiz Petters e há partidas com a presença de mais de 1.000 torcedores na área interna, sem contar a área externa.

Outros eventos foram cancelados por municípios em toda a região. Em Pomerode, ainda em dezembro, a prefeitura cancelou a realização da Festa Pomerana. Em Blumenau, no início desta semana, foi cancelado a realização da Sommerfest. Em vários municípios, em todo o país, a realização do Carnaval também está sendo cancelado.

fonte – JMV