O presidente Jair Bolsonaro prometeu nesta Quinta-feira (22) adotar medidas que reduzam as emissões de gases e pediu “justa remuneração” por “serviços ambientais” prestados pelos biomas brasileiros ao planeta.

Entre outros pontos, Bolsonaro disse no discurso que o Brasil se compromete a:- zerar até 2030 o desmatamento ilegal

O presidente Jair Bolsonaro prometeu nesta quinta-feira (22) adotar medidas que reduzam as emissões de gases e pediu “justa remuneração” por “serviços ambientais” prestados pelos biomas brasileiros ao planeta. Entre outros pontos, Bolsonaro disse no discurso que o Brasil se compromete a:- zerar até 2030 o desmatamento ilegal;- reduzir as emissões de gases;- buscar ‘neutralidade climática’ até 2050, antecipando em dez anos;-‘fortalecer’ os órgãos ambientais, ‘duplicando’ recursos para fiscalização. Vamos lembrar aqui:- No último dia 9, o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou que os alertas de desmatamento na Amazônia bateram recorde em março. Ao todo, foram 367, km². Ainda conforme o Inpe, o desmatamento na Amazônia em 2020 foi mais de 3 vezes superior à meta proposta pelo Brasil para a Convenção do Clima.- Ano passado, o Pantanal registrou o maior número mensal de focos de incêndio desde o início da série histórica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998. Foram 6.048 pontos de queimadas no bioma.- Na última semana, o agora ex-chefe da Polícia Federal no Amazonas Alexandre Saraiva enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) queixa-crime denunciando Ricardo Salles por crimes de advocacia administrativa, organização criminosa e obstrução a operações. Na representação são listadas todas as ações do ministro, e do senador Telmário Mota (Pros-RR), para dificultar a investigação de órgãos ambientais em operação sobre a apreensão recorde de madeira ilegal no final de 2020.Pelo visto, o presidente vive numa realidade paralela.

G 1-GLOBO.COM

Deixe uma resposta