O CIÚME LOUCO QUE NÃO TENHO E GOSTO

Spread the love

TEXTO LUIS BOGO

Legenda da foto:Por ciúmes, Caim matou Abel e cometeu o primeiro assassinato narrado na Bíblia

Nestes tempos malucos, em que alguns loucos negam a ciência de forma veemente, vou falar sobre algo cientificamente provado: as emoções afetam o nosso cérebro.

No caso do amor, logo que nos sentimos encantados, a euforia provoca um aumento de atividade nas áreas do cérebro relacionadas ao sistema de recompensa e no córtex cingulado anterior, associado a pensamentos obsessivos, típicos das paixões. Com o tempo e a convivência, as tempestades neurais nestas áreas se acalmam e são ativadas as regiões relacionadas ao apego.

É comum – embora às vezes se torne nocivo e doentio – que simultaneamente ao amor brote o sentimento de ciúme. Na verdade, os ciúmes (há uma diversidade deles nas prateleiras do coração) são os conflitos entre a liberdade pessoal e as limitações impostas pelos relacionamentos profissionais, afetivos ou amorosos, cada qual com suas neuroses particulares.

Os românticos afirmam que ciúme é “a pimenta do amor”. Outros dizem que se assemelha ao princípio ativo da vacina: pouco protege, em excesso mata. O ciumento doentio deixa a imaginação correr solta para supor infidelidades, traições, adultérios e, às vezes, trata o amigo, a namorada ou o cônjuge como um bem imóvel, como objeto de uso pessoal e intransferível, tal uma escova de dentes.

Mas, nem tudo é tão ruim: existe o ciúme saudável. Quando nos envolvemos afetivamente com alguém, é natural que tenhamos medo de perder este convívio, de não desfrutar mais daquela companhia, então nos dedicamos a cuidar do outro, a fazer carinhosos investimentos para que o relacionamento perdure. O ciúme saudável não é provocado por um elemento alheio ao relacionamento, por uma “outra pessoa”.

Concluindo, então, resta-me falar do louco ciúmes que não sinto de você…

Minha Loucura, confesso que de você jamais terei ciúmes, pois é você que me faz sentir especial e único. É você quem me faz sedutor e encantador. Emocionado e eloquente. Divertido (às vezes até um pouco patético e exposto às zombarias). É você quem faz com que riam de mim e comigo, mas eu te amo loucamente e jamais terei ciúmes de você.

Ah, Minha Loucura, eu lhe peço de coração, não me abandone jamais, porque comigo você será eternamente livre. Quero dividi-la com meus amigos, com meu vizinho, com toda a humanidade, mas lhe peço, apenas, que não me deixe só, não me faça procurá-la por entre os meandros da memória, pois se eu perder você, que é quem me distingue e me dá esta identidade, deixarei de ser eu.

É você, Minha Loucura, quem me inspira a compartilhar histórias, poemas e outras loucuras E a dizer coisas lindas a quem eu verdadeiramente amo”.