Noite dos Candelabros será realizada no dia 19 de setembro e marca a volta dos eventos presenciais

Spread the love

Em setembro o Museu da Música de Timbó completa 17 anos e para celebrar o aniversário, no domingo, dia 19 de setembro, acontece a tradicional Noite dos Candelabros, no Museu da Música. O evento irá contar com a apresentação da Orquestra de Câmara Municipal de Timbó (OCMT), a partir das 19h.  
A Noite dos Candelabros marca a volta dos eventos culturais presenciais no município. A Noite dos Candelabros será realizada de forma presencial e on-line. “Nós estudamos a situação junto a Secretaria de Saúde e vimos que com a situação do município no nível ‘amarelo’ na Avaliação do Risco Potencial para Covid-19, o evento pode acontecer. Seguiremos todos os protocolos sanitários de saúde para garantir segurança a todos os presentes”, explica o diretor presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Timbó, Jorge Ferreira.  
O evento também será transmitido na página no Facebook da Prefeitura de Timbó. 

Segurança
Para seguir todos os protocolos, o evento terá limite de público de 50 pessoas, um terço da capacidade do Museu da Música, as cadeiras terão distanciamento de 1,5m e o uso de máscara é obrigatório durante toda a noite. 

Ingresso
O evento é gratuito. Para garantir que não tenha mais público do que é permitido, serão distribuídos ingressos para a entrada no evento. Eles estarão disponíveis para retirada na sede da Fundação de Cultura e Turismo de Timbó a partir do dia 13 de setembro, até na sexta-feira, dia 17 de setembro. 
Além disso, também seguindo os protocolos de segurança, na entrada do evento estarão registrando o nome e contato dos presentes. 

Noite dos Candelabros
A Noite dos Candelabros surgiu no ano de 2009, em comemoração ao 5° aniversário do Museu da Música, com o propósito de apresentar ao público um evento diferente com uma atmosfera clássica e romântica, quando velas eram utilizadas para iluminar os ambientes.

Orquestra de Câmara Municipal de Timbó
A Orquestra de Câmara Municipal de Timbó conta com a regência do maestro Paulo Lira e 18 membros nos primeiros violinos, segundos violinos, violas, violoncelos, contrabaixo, alaúde e guitarra barroca, flauta transversal e tímpanos.

Assessora: Raquel Piske/Ascom PMT