Museu Hering: um tesouro a ser descoberto

Spread the love

TEXTO - LUIS BOGO

Localizado num casarão construído há mais de um século no Bairro do Bom Retiro, em Blumenau, o Museu Hering é um patrimônio histórico e cultural ainda pouco conhecido pela população local, apesar de manter uma exposição permanente e de promover com frequência uma série de eventos e exposições temporárias.

Logo à entrada do Museu, uma exposição fotográfica conta a história da Cia. Hering, com informações acessíveis a pessoas com deficiência (PcD).

História - O Museu abriu suas portas no dia 26 de novembro de 2010, mas muito antes, em 1980, por ocasião do centenário da Cia. Hering, Ingo Hering manifestou em carta o desejo e a intenção de criar um espaço onde fosse preservada a memória da empresa, que se mistura à própria história do desenvolvimento da cidade. A casa escolhida para abrigar o acervo histórico e eventos culturais abertos à comunidade fazia parte do conjunto arquitetônico que abrigou a sede da empresa desde a sua origem, e hoje é tombada pelo Patrimônio Histórico do estado de Santa Catarina. O estilo arquitetônico do imóvel é o enxaimel, técnica de encaixe de madeiras trazido da Alemanha pelos imigrantes, que inspira todas as demais estruturas internas montadas para as exposições e eventos. O projeto paisagístico, assinado por Burle Marx, conta com um vasto jardim suspenso e foi elaborado a partir da utilização de plantas e flores da reserva florestal que circunda o casarão.

Documentos e peças históricas são cuidadosamente preservados e protegidos.

Atividades Logo à entrada, um conjunto de fotografias traz imagens da família Hering e um pouco da história da companhia, destacando a presença e o papel das mulheres na construção deste projeto que jamais se propôs a ser apenas um empreendimento lucrativo; mas, sim, deixar um legado cultural que priorizasse o bem-estar comum e o desenvolvimento sustentável.

Ao contrário do que muitos imaginam, o Museu não se restringe a um conjunto de fotografias recolhidas ao longo dos séculos, mas é uma estrutura ativa que busca conciliar História e modernidade, incentivando modelos participativos junto à comunidade e privilegiando conceitos modernos, como reciclagem e sustentabilidade.

Exemplos disso são o projeto “Retrama”, desenvolvido em conjunto com a Coopergip’s (Cooperativa de Grupos de Inclusão Produtiva), que reúne 11 costureiras; e, também, com a costureira Verenise, que a partir do conceito de upcycling, aproveitam material que seria descartado para produzir moda.

A equipePara funcionar, o Museu conta com funcionários cedidos pela Fundação Hermann Hering que, de acordo com seu estatuto, existe, entre outras razões, para “ampliar a capacidade empreendedora e ser agente de transformação social”.

Ao todo, são 10 pessoas, entre funcionários e estagiários, lideradas pela gestora Amélia Malheiros. Kahina Thirsa Hosting é funciona como mediadora, e é a historiadora responsável pela preservação do acervo e pelos projetos educativos, trabalhando em conjunto com a coordenadora Josiane Graziela da Silva e com o especialista em projetos Daniel Philipi Knop. O atendimento ao público é realizado pelos estagiários Cintia Gaia, Renata Barbosa, Lucas Schreiber, Gabriela Corrêa, Suzana Peters e Eduarda dos Santos, que guiou nossa reportagem.

Serviço – O Museu Hering está localizado na R. Hermann Hering, 1740 – Bom Retiro, Blumenau, e funciona de segunda a sábado, das 10h às 16h. Permite o uso de câmeras fotográficas e de vídeo, mas não permite a entrada de animais nem o consumo de alimentos em suas dependências. Conta com rampas de acesso, cadeira de rodas e banheiro semi – adaptado a cadeirantes, além de elevador, linguagem de libras em alguns audiovisuais e manual em braile dos painéis expositivos. As visitas podem ser agendadas através do site:museuhering@fhh.org.br

ou pelo telefone (47) 3321-3340. O acesso é gratuito.

MÉDIO VALE EM FOCO