CPI vai recorrer de decisão do STF que permitiu silêncio de Wizard

Spread the love

Empresário está nesta quarta-feira (30) no Senado; ele é acusado de financiar um gabinete paralelo de aconselhamento a Bolsonaro

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou nesta quarta-feira (30) que a comissão vai recorrer da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que permitiu ao empresário Carlos Wizard ficar em silêncio após as perguntas dos parlamentares.

Aziz fez a afirmação de que a CPI buscaria o STF pouco antes do intervalo que a comissão fez no início desta tarde. Segundo o senador, o empresário não pode ficar sem punição, em menção ao vídeo exibidos pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP, no qual Wizard faz a defesa aberta de remédios sem comprovação científica contra a covid-19 eri após comentar que as cinco pessoas mortas no município de Porto Feliz (SP) só foram a óbito porque decidiram ficar em casa.

“É duro a gente ouvir isso do senhor, [é duro] para quem perdeu um ente querido”, citou Aziz, que teve um irmão morto por ter se infectado por covid. “A forma como o senhor fala machuca demais, eu peço à Mesa que recorra da decisão do ministro Barroso em relação ao habeas corpus que lhe concedeu o direito de vir aqui e ler uma única frase.”

Durante praticamente todo o seu depoimento, Carlos Wizard afirmou:  “Me reservo ao direito de permanecer em silêncio”.

“Iremos recorrer fazendo um apelo ao Supremo para que possamos mostrar essa fala de senhor como exemplo do que não pode ficar impune. O senhor não pode ficar impune em nome de 512 mil vidas.”