Contações de histórias infantis do Observatório Social são transmitidas a escolas de Brusque, Botuverá e Guabiruba

Programação terá uma contação de histórias infantis inédita por mês

A partir deste mês de junho, o Observatório Social de Brusque realiza uma série de Contações de histórias infantis do Programa “Era uma vez, uma semente do bem”. A programação iniciou nesta segunda-feira, 07, direcionada a estudantes do 1º ao 5º ano por meio de parceria com escolas municipais, estaduais e particulares de Brusque, Botuverá e Guabiruba.
A programação segue em calendário mensal com Contações até o mês de novembro. Todas as histórias serão diferentes, com duração entre 30 e 45 minutos, destacando valores éticos, morais e ensinamentos positivos com narrativas infantis. As histórias são criteriosamente selecionadas e as Contações são feitas pela contadora de histórias K’roll Oliveira.
A Consultora Pedagógica de Educação Fiscal e Cidadania, Priscila dos Santos Petermann explica que as lives serão realizadas ao vivo no período matutino e vespertino, mas as escolas que preferirem podem fazer a transmissão remotamente aos seus alunos em algum dia dentro do seu cronograma escolar. As datas, horários e links serão mensalmente enviados para os e-mails das escolas, GERED e Secretarias Municipais de Educação de Brusque, Guabiruba e Botuverá, para que sejam repassados aos envolvidos.
“Vale ressaltar que o uso da literatura infantil como recurso pedagógico, mesmo através de uma contação de histórias, é de grande importância para a aprendizagem, para o aprimoramento da escuta, o desenvolvimento cognitivo, emocional e imaginário das crianças e até da capacidade crítica dos alunos, ampliando seus saberes de forma significativa”, afirma.

Saiba mais
O “Era uma vez, uma semente do bem” foi criado pelo OSB Brusque em 2019 e suas aplicações tiveram início em outubro daquele ano. Trata-se de um programa de cidadania no formato de Contação de Histórias Infantis que tem como principal objetivo resgatar e/ou ensinar valores éticos e morais ou algum ensinamento positivo através do mundo encantado das histórias. Em 2020, devido a pandemia, o programa migrou para o virtual e foram realizadas 40 lives, totalizando mais de 4 mil acessos ao vivo e mais de 10 mil visualizações remotas. Estima-se que cerca de 15 mil pessoas tenham sido impactadas com o programa. Segundo o presidente Claudemir Marcolla, o programa é motivo de orgulho para a entidade. “Iniciamos com atividades em sala de aula, depois tivemos que nos reinventar devido a pandemia, mas temos muito orgulho desse programa que leva educação cidadã aos jovens. No ano passado, as lives foram abertas ao público e além das crianças muitos pais, tios, avós também acabaram assistindo com os pequenos. Fica difícil mensurar a quantidade real, mas ficamos muito felizes com a abrangência dessa iniciativa”, destaca.

FONTE – Amplitude Comunicação

Deixe uma resposta