Concessionária esclarece situação das obras do Complexo Turístico Jardim do Imigrante

Spread the love

Com o objetivo de esclarecer os comentários, realizados na última semana, com relação as obras de restauração do restaurante e entorno do Complexo Turístico Jardim do Imigrante, no Centro de Timbó, que deixaram dúvidas quanto ao andamento dos trabalhos, um dos responsáveis pela nova concessionária, Aroma de Cozinha Comércio Ltda (única empresa que apresentou proposta no processo licitatório para concessão de uso de bem público para os próximos 20 anos), Walter Brandt Neto.

Visando desmistificar este assunto, Walter Brandt Neto explica que apenas uma modificação na proposta do projeto original, referente à altura do telhado frontal, foi objeto de paralisação para uma reanálise. “O Ministério Público acompanha o caso para dar transparência e legalidade a todo o processo. Fizemos uma modificação no pré-projeto inicial, no que diz respeito, somente, à altura do telhado frontal, com o intuito de trazer ainda mais beleza a toda fachada. Estamos em tratativas com os competentes técnicos da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), que inclusive estiveram in loco para fazer uma melhor análise de todo o contexto. Sempre se mostraram muito solícitos, empenhados e preocupados com as melhores soluções”, observa Brandt Neto.

O empresário também salienta que “a restauração do prédio está dentro de todas as normas legais do tombamento do prédio e que em hipótese alguma a nova estrutura frontal fere a Lei de Preservação ao Patrimônio Público, haja visto que houve uma consulta previa com parecer favorável, de um pré-projeto que consta do edital, o qual não foi alterado em área ou locação do anexo frontal”.

Segundo Walter Brandt Neto, as obras de reforma do Complexo Turístico Jardim do Imigrante, no que compete ao processo de concessão de uso de bem público, sempre seguiram, dentro do possível, sem interrupção total. “Esta obra de restauração, que inclui também o prédio do restaurante, nunca foi alvo de embargo como se propagou nas redes sociais”.

Entretanto, o empresário admite que “as reformas estão um pouco atrasadas, mas por toda complexidade de sua estrutura e em decorrência da pandemia, que prejudicou muito o fornecimento de matérias-primas como o aço, vidro e madeira, por exemplo. E que o atraso não se dá pelo anexo frontal, apenas, pois as demais obras também não estão conclusas ainda”.

Walter Brandt Neto destaca que “muita coisa teve que ser feita e refeita, de maneira definitiva e com qualidade, como instalações elétricas e hidrossanitárias, que estavam de forma precária e com desgaste de 20 anos de uso. Uma reforma sempre é mais complexa do que uma obra nova”.

Para finalizar o empresário afirma que: “estamos fazendo tudo de forma transparente e como toda a população, queremos o melhor para aquele espaço histórico e turístico tão importante para o Vale Europeu. Vamos engrandecer ainda mais a nossa querida Timbó com este novo empreendimento. Estamos todos empenhados, incansavelmente, não medindo esforços para tal. Tenho certeza que vai ficar um local muito lindo, aconchegante e atraente a todos quando tudo estiver pronto”.

Confira imagens do pré-projeto e nova proposta da concessionária:

Foto1: Pré-projeto da entrada. Foto 2: Nova proposta da concessionária 

Foto 1: Pré-projeto da fachada. Foto 2: nova proposta 

Foto1: Pré-projeto dos fundos. Foto 2: nova proposta

FONTE – JORNAL DO MEDIO VALE