Com sucesso de visitas, exposição “Os Grãos da Pérola” é prolongada até 26 de junho

Spread the love

A exposição “Os Grãos da Pérola” tem sido um sucesso de visitas desde que foi aberta em 4 de maio. Por isso, o Museu do Imigrante decidiu estendê-la até o dia 26 de junho. Ela está na Galeria Max Hartmann, anexa ao Museu do Imigrante de Timbó, e estava prevista para se encerrar em 20 de junho. Já passaram pelo local mais de 300 visitantes interessados em saber mais sobre a vida agrícola dos primeiros imigrantes. 
A pandemia dificultou a visita de escolas no local, mas para que os estudantes possam ter acesso de alguma maneira ao conteúdo da exposição, o Museu disponibilizou um vídeo que apresenta o museu e a exposição para escolas públicas de oito municípios da região.
Vale reforçar que o Museu segue todos os protocolos de segurança e saúde, recebendo sete visitantes por vez e evitando que mais de uma família seja atendida ao mesmo tempo. 
Visitação
O Museu do Imigrante está aberto para visitação de terça-feira a domingo e feriados, das 8h30 às 11h30 e de 13h30 às 17h30.
A entrada tem o valor de R$ 2, para estudantes é metade e idosos e crianças com menos de seis anos têm entrada gratuita.
Está localizado na Avenida Getúlio Vargas, nº 211, no Centro de Timbó. 
Sobre a exposição
O trabalho agrário foi a base de sobrevivência desde quando a comunidade timboense dava seus primeiros passos. Nesse sentido, os grãos possuíam um papel destacado, entre eles o milho, o arroz e o café, que eram aproveitados de diversas formas e o seu excedente era vendido para gerar uma renda extra aos colonos.

Com o intuito de valorizar essa parte tão importante da história timboense, a equipe do Museu do Imigrante criou a exposição “Os Grãos da Pérola”, que pretende contar essa história através de imagens obtidas em parceria com o Arquivo Público Prof. Gelindo Sebastião Buzzi, além de textos e objetos pertencentes ao acervo do Museu do Imigrante. O título da exposição é uma referência aos grãos que eram essenciais no dia-a-dia e ao apelido “Pérola do Vale” dado a Timbó nas comemorações de seu centenário.

A exposição conta também com uma réplica de atafona da JC Artes e Criações (Pomerode) que retrata parte do cotidiano da vida agrícola.

Assessora: Raquel Piske/Ascom PMT