Com fim dos bloqueios de rodovias em SC, abastecimento chega próximo à normalidade

Spread the love

Todos os bloqueios em rodovias em Santa Catarina foram desmobilizados na manhã desta sexta-feira, 10. Com isso, o Governo do Estado avalia que a situação está próxima da normalidade, mas mantém o monitoramento. A distribuição de vacinas para todas as regiões transcorre sem interrupções, os estoques de insumos nos hospitais e o fornecimento de combustíveis para os veículos de emergência estão de acordo com as necessidades.

Na avaliação do governador Carlos Moisés, a atuação integrada das forças de segurança estaduais e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), com apoio de outros órgãos do Governo do Estado, foi fundamental para o sucesso da desmobilização.

“Nossa principal preocupação sempre foi garantir o fornecimento de insumos para os hospitais e combustível para veículos de emergência. A ação integrada contribuiu para que os pontos de bloqueio fossem desfeitos de forma ordenada e a normalidade fosse restabelecida nas nossas rodovias”, considerou Carlos Moisés.

Na manhã desta sexta-feira, o Centro de Controle e Operações se reuniu novamente para avaliar as últimas ações e definir os próximos passos. Com o fim dos bloqueios nas rodovias, a atuação agora se dá no sentido de monitorar para evitar novos fechamentos.

“A tendência é que hoje o movimento esfrie e tenhamos a normalidade em toda Santa Catarina. Não há indicativo de que haja retorno de forma significativa dos movimentos. Tenho certeza de que o povo catarinense é ordeiro e, durante o fim de semana, teremos normalidade em todos os locais”, projetou o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, coronel Charles Alexandre Vieira.

Os trabalhos estão sendo coordenados a partir do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd), da Defesa Civil do Estado, em Florianópolis, com a presença de gestores e servidores dos órgãos envolvidos.

O Centro de Controle e Operações também atua por meio do compartilhamento de informações entre os órgãos, de modo a prever possíveis consequências e planejar ações com antecedência.

TEXTO – OCP NEWS