Brusque 2030: Prefeito Ari Vequi faz visita técnica a Criciúma

Spread the love

Em continuidade às ações que permitam a concretização do projeto “Brusque 2030”, nesta quinta-feira (19), o Prefeito Ari Vequi, acompanhado de técnicos da Administração Municipal, esteve em visita à Prefeitura de Criciúma. O objetivo foi conhecer a forma de financiamento contratada pela cidade do sul catarinense junto ao Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata), que é um banco de desenvolvimento multinacional, para a realização de obras estruturais.

De acordo com o Prefeito, o município tem o projeto e formas de viabilizar. E os trabalhos seguem em duas frentes paralelas, enquanto uma parte dos esforços se concentra nos ajustes das propostas, ouvindo instituições e segmentos da sociedade brusquense, a outra parte da atenção se volta ao estudo para o melhor método de viabilização das ações.

“Desde que começamos a elaborar o projeto Brusque 2030, temos estudado formas de fazer e buscado opções de financiamento, recursos estaduais e federais”, ressalta o Prefeito. “Fomos em Tubarão há um mês e agora fomos com nossa equipe técnica a Criciúma, para verificar a realidade deles, sanar dúvidas e obter esclarecimentos, ainda mais que eles já estão no segundo financiamento do tipo junto ao Fonplata”, reforça. Segundo Ari Vequi, “a benéfica troca de experiências entre as cidades vai gerar frutos em ambas”.

“Brusque 2030”

O projeto consiste em um planejamento estratégico que prevê uma série de investimentos e melhorias no município nos próximos anos, em um processo que planeja a cidade para, pelo menos, a próxima década. Ele já foi apresentado ao Conselho das Entidades, que reúne 14 entidades da cidade e também à Câmara de Vereadores. Este planejamento vai dar uma infraestrutura para a cidade, tanto na questão econômica quanto na qualidade de vida da população.

Fonplata

O Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata é um banco de desenvolvimento multilateral composto por cinco países: Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. A entidade financia projetos de pequeno e médio porte, em valores médios de US$ 50 milhões, especialmente nas áreas urbanas vulneráveis, zonas rurais e regiões fronteiriças, a fim de impulsionar a integração entre países ou entre regiões dentro de um mesmo país.

TEXTO – SECOM BRUSQUE