Bicicletas apreendidas são adaptadas e doadas para cadeirantes

Spread the love

Ação envolveu Apames e Polícia Militar e Civil de Rio do Oeste e trouxe muita alegria para as pessoas com necessidades especiais

Bicicletas apreendidas que estavam há tempos abandonadas na Delegacia de Rio do Oeste finalmente tiveram uma destinação e fizeram a alegria de deficientes do município. Elas foram adaptadas e doadas para cadeirantes através da Associação de Pais e Mães de Pessoas com Deficiência Intelectual e Autismo (Apames). A entrega foi marcada pela felicidade dos beneficiados e agora a intenção é ampliar o projeto.

A coordenadora da Apames, Alci Léia Padilha, conta que o projeto surgiu quando as polícias Civil e Polícia Militar do município decidiram doar três bicicletas apreendidas que estavam aguardando os donos que nunca apareceram para reivindicá-las. Como a entidade é voltada ao atendimento de pessoas com necessidades especiais, foi necessário planejar e executar a adaptação.

“Com todos juntos lá na delegacia ainda chegamos a ideia de montar as bicicletas adaptadas. Primeiro fizemos um levantamento de quem estava precisando  e todos os que podiam pedalar sozinhos já tinham bicicletas, os demais não tinham porque não  conseguiam e foi então que decidimos fazer a adaptação”, lembra.

O trabalho foi executado por uma oficina de automóveis da cidade que realizou a adaptação e o custo para as três bicicletas foi de R$ 820,00, valor pago pela associação. Alci Léia ressalta ainda que a iniciativa vai proporcionar mais qualidade de vida às pessoas com necessidades especiais e garantir mais inclusão. “Significa uma inclusão ampliada, porque além da alegria deles ao receber o presente, agora os pais, os irmãos vão poder passear e interagir com essas pessoas de uma forma completamente diferente”.

A entrega foi feita nesta semana com a presença dos policiais envolvidos na ação e garantiu muitos sorrisos aos beneficiados que não contiveram a alegria de andar de bicicleta pela primeira vez.

Diante do sucesso do projeto a intenção agora é beneficiar todos os cadeirantes ligados a Apames. “O nosso objetivo é estender isso para outros da Apames. Primeiro beneficiamos os cadeirantes mais velhos e um bem pequenininho porque eles moram na área central da cidade e a gente precisava fazer um teste para ver como seria, se a cadeira não iria quebrar. Como o teste deu mais do que certo e a alegria deles foi acima das expectativas vamos ampliar o projeto”, revela.

Quem quiser contribuir com o projeto pode fazer a doação de bicicletas novas e usadas, inclusive as que estão estragadas e contam com apenas uma roda. “Queremos beneficiar 21 cadeirantes que temos na Apames e toda a ajuda é muito importante, para poder alegrar ainda mais pessoas”, finaliza.

FONTE - Helena Marquardt/Diário Alto Vale